segunda-feira, 23 de abril de 2012

As cores do Canyon

Sexta pela manha, conforme programado, saímos de Tucson com destino ao Grand Canyon. Sem muita pressa, afinal era um passeio. 

Nossa primeira parada foi em Sedona, cidadezinha que lembra um pouco a estrutura de Pirenópolis, mas com um visual lindo das formacoes rochosas de la. Paramos, fotografamos, passeamos e pernoitamos la.

No dia seguinte, cedo, partimos de novo. Viajar com   belas estradas, lindas paisagens e ouvindo musicas dos anos 80 no radio. Bom demais...

A estrutura do Parque Nacional do Grand Canyon eh toda voltada para o turismo. Os preços são bem salgadinhos. No entanto, compensa ficar num hotel dentro do Parque, pois se ganha um tempo precioso, afinal só tínhamos um dia e meio para ficar la. O hotel excelente, mas no cafe da manha so agua, cafe e cha. Qualquer coisa a mais tem que ser pago e bem caro. Uma curiosidade, eh que fotografei a placa da fundacao do hotel e em, 1914, ele ja cobrava cafe da manha a parte.

Há programas e passeios para todas as idades. Fico encantada com a quantidade de pessoas idosas e com deficiência que vemos aqui, participando de tudo. Para os atletas, há trilhas de tirar o folego, com vários dias de caminhada. Para os intermediarias, há a possibilidade de andar pelas passarelas que contornam o vale tenho a cada parada, vistas lindíssimas. Ainda existe a possibilidade de pegar um ônibus, que circula dentro do Parque e para nos mais belos mirantes. Esta foi a minha opcao de domingo, depois de andar um sábado inteiro.

Como em todo ponto super turístico, como eh o caso aqui, há ainda outras opcoes de passeios. Uma, a de helicóptero, que cheguei a cogitar. Mas, depois que já se andou tanto e viu tanta coisa, dar quinhentos reais por 30 minutos de sobrevoo...Não. 

Outra opcao que esta sendo muito difundida eh a tal varanda com chão de vidro, para você ter a sensacao que esta solta sobre o Canyon. A verdade dos fatos eh bem outra. Em primeiro lugar, ela não faz parte do Parque. Ela esta situada numa propriedade particular e fica a cinco horas do Canyon. Só compensa ir caso se esteja a caminho de Los Angeles. Olhando pelo folheto direitinho, da pra ver que ela não eh tao grande assim e custa, claro uns duzentos reais para chegar a ela. Por tudo isso, não fomos.

A minha percepcao eh que não são necessários tantos aditivos para aproveitar bem este passeio. O Canyon eh lindo, visto de qualquer angulo. As cores vao mudando de acordo com a posicao do sol, e no final do dia, o espetaculo eh deslumbrante.

Claro que eh papel das agencias de turismo oferecer opcoes para estimular as pessoas e claro, obter seus lucros. Mas há tantas formas de se curtir um lugar lindo como esse. A quem vem, recomendo andar, passear, parar, descansar e so depois comprar algum passeio.

O que me interessou mais, foi um que une jeep e barco, pois adoro agua. Este, com duracao de doze horas, seria inviavel, mas para mim pareceu o mais interessante deles todos, o que eu faria caso tivesse tempo. Alem de percorrer uma regiao por cima, voce ainda desce e passeia pelo Rio Colorado, vendo entao os paredoes de baixo. Deve ser lindo. Quem sabe numa proxima vez?

No sábado a tarde, por exemplo, fizemos um piquenic no por do sol. Vinho branco, morangos, queijo, salada, numa área isolada. O sol se pondo por trás da minha cadeira. Isso, decididamente, não tem preço!

Ainda tenho três dias aqui no Arizona antes de voltar para Brasília. Há pequenos vilarejos históricos e povoados muito interessantes. Tenho que me apressar, para ainda ver o que falta.

A vida eh bela.



Nenhum comentário:

Postar um comentário