sábado, 27 de agosto de 2011

domingo, 21 de agosto de 2011

Na telinha da TV

Hoje me deu vontade de partilhar os filmes que marcaram minha infância. Criança de apartamento, assistia muito a filmes na TV. Alguns são até hoje referências de séries. Tão ingênuos, os efeitos especiais. Qualquer criança hoje riria daquilo que nos deixava boquiabertos.


O malvado Dr. Smith aprontava todas. O vilão era o destaque numa família boazinha demais pra ser verdade. O robô era uma figura.


Este era digamos assim, mais sério. Um belo dia porém, comecei a me questionar: Se eles viajavam pelo mundo e pelo tempo, por que nunca mudavam de roupa? Ah! Versão brasileira, AIC São Paulo. Sempre!



Maxwell Smart era um contraponto aos demais agentes secretos. Era feio, atrapalhado e só no final as coisas se resolviam. Eu adorava os artefatos que ele usava, além do "Cone do Silêncio" que ele e o chefe usavam para conversas secretas.


Dentre os super heróis Marvel, eu gostava mais de Thor e do Príncipe Namor. Programa dos sábados à tarde.


Claro que o personagem mais interessante era a mãe de Samantha, Endora. O que ela fazia é que tornava o episódio mais ou menos interessante.



Eu assistia, mas não gostava muito. Não havia muita surpresa.

Lembranças, lembranças.