segunda-feira, 14 de maio de 2012

A ver estrelas

Há muitos anos, eu assisti a uma peça em Salvador chamada  "A ver estrelas" que relata a história de Jonas, um garoto quieto e pacato que vive na tranquila Vila da Solidão. Num determinado momento que está só em seu quarto, ele se perde em seus pensamentos observando as estrelas. Num misto de sonho e realidade, Jonas se vê cercado pelos seres encantados que moram em sua imaginação.

Sem perceber, vai parar num lugar onde tudo pode acontecer, o País do Navegar. Essa trajetória mostra a Jonas a oportunidade de sair de sua monotonia – o Reino a Ver Estrelas – e se permitir descobrir como aproveitar melhor os seus dias, experimentando os conflitos que são estranhos ao seu universo. 

No meu último dia no Arizona, voltando do restaurante com Tom e Ed, me detive contemplando o céu. Aqui em Tucson, não e permitido ter muita luz nas ruas, por ser uma área onde existe um observatório. O excesso de iluminação publica prejudicaria o trabalho dos cientistas. Inclusive nesta semana em que aqui estou, uma briga ocupa os jornais de Tucson. O centro da discussão eh a colocação de um outdoor com luzes em neon. O comercio quer, mas a comunidade entende que as luzes terão que ser viradas para baixo, em virtude claro, da tradição da cidade e do respeito aos que nela trabalham com astronomia.
Olhar as estrelas no meu último dia de viagem me lembrou da peça. Assim como Jonas, o personagem principal, eu também opto por navegar. Nas viagens que faço, aprendo sobre os países e pessoas, mas principalmente sobre mim. A cada retorno me percebo diferente, como se meu corpo abrigasse uma outra pessoa. Faço planos, defino metas, enfim, recarrego minhas baterias totalmente.

Os dias de agito em Nova York aliados ao sossego do Arizona formaram uma combinação perfeita para as minhas férias. Voltei com a certeza de que preciso cuidar mais da minha saúde, isso inclui além de uma alimentação adequada e exercícios, ter mais tempo para simplesmente ser. E isso inclui também ficar a ver estrelas, de preferência, após muito navegar.