sábado, 13 de março de 2010

A Mesbla


Brasília, dezembro de 2009

Hoje, após mais um almoço de confraternização, uma colega no carro lembrou da Mesbla.
Quem é mais vivido, lembra.
Ah, a Mesbla!
Foi a loja de departamentos referência da minha infância e eu costumava ir com minha mãe olhar as vitrines no período de Natal. Aos domingos, nariz colado no vidro da loja fechada, escolhia ali meus presentes.
O tempo passou, eu cresci e a Mesbla me acompanhando. Lembro das embalagens vermelhas, com um formato oval nas pontas. No Natal as árvores ficavam cheias de presentes da Mesbla, pois tinha de tudo lá: brinquedos, roupas, e os melancólicos cintos, lenços e meias para presentear pais e tios.
Tinha até uma musiquinha :

Na Mesbla, na Mesbla, o melhor Natal do Brasil,
Compre agora, sem entrada, e só comece a pagar em abril, abril
Abriu as portas do CrediMesbla,
Na Mesbla só se paga em abril!


Fiquei adulta e a Mesbla também. Já não pedia brinquedos, ia sozinha e pagava com meu salário as compras feitas na loja que agora ocupava grandes espaços nos shoppings da cidade. Dessa época lembro da filha de uma amiga que, ainda adolescente, me contou em segredo que quando se sentia triste, corria para a Mesbla para abraçar os enormes ursos de pelúcia que enfeitavam cada ala da seção de brinquedos.

Ainda hoje lembro que um dia, também eu triste, me vejo na loja e não resistí: busquei no urso o abraço que me faltava.

A Mebla, que existe apenas na nossa memória, manteve abertas as suas portas de 1912 a 1999, quando foi decretada sua falência.

12 comentários:

  1. Tia Vânia, tenho uma notícia para você! A Mesbla está de volta. Mesmo que apenas virtualmente. Mas ela está de volta! Agora ela é a loja da mulher ponto com. Por enquanto, ela está apenas procurando fornecedores, mas logo logo poderemos disfrutar de seus apetrechos.

    A Mesbla também fez parte da minha infância. Antigamente, onde hoje fica a Renner no Parkshopping, tinha uma Mesbla. Minha mãe se acabava nas roupas e apetrechos para casa. Eu e minha irmã apenas a seguíamos para lá e para cá na maior parte do tempo. Lembro que o estabelecimento era entupido de gente! E é nessa loja que surgiu a famosa história, aqui em Brasília, da moça que puxava seu filho por uma coleira. É claro que ela não colocava no pescoço do dito. O acessório envolvia sua cintura. Minha mãe e minhas tias achavam aquilo um horror! Eu só achava interessante. Mais uma história para contar pro resto da vida. E olha que essa história é famosa mesmo. Já comentei com várias amigas e todas já ouviram falar ou se viram face a face com o inimigo. Hehe...

    Beijão.

    Natasha

    ResponderExcluir
  2. Eu furei minha orelha na Mesbla (centro de Porto Alegre)! Devia ter o quê? Uns 8 anos?
    Fechando os olhos agora consigo ver a imagem dos departamentos no sobe e desce das escadas rolantes.
    Mesbla, ah Mesbla...
    Infância, ah infância...

    A Natasha falou de uma história de levar filhos na coleira. Não conheço, mas também não sou daqui. Engraçado é que agora existem coleiras feitas para crianças, compradas em lojas de bebê. Minha mãe comprou pras gêmeas. Também acho esquisito, mas, sinceramente, qual a melhor forma de deixar as duas pequenas se divertirem na rua, sem perdê-las?

    ResponderExcluir
  3. Rsrsrsrs...essa musiquinha! Até hoje não sai da minha cabeça, e quantas vezes já me peguei cantando...lembranças, doces lembranças...

    ResponderExcluir
  4. Ah a MESBLA!
    Viajei com seu texto Vânia!!! Na infância ela nos enchia de alegria aos sábados e na época das festas. Foi a primeira loja a abrir até 22hrs e aos domingos quando estava próximo do Natal! A Avenida Sete e a Carlos Gomes ganhava...m vida após as 18hrs porque era Natal e a Mesbla estava aberta! Ficava encantada com as luzes, a decoração e o inédito de fazer compras a noite! E a fila para falar com Papai Noel? Ele nos pegava no colo, ouvia nossos pedidos, perguntava se tínhamos sido boas crianças, sorria e íamos para casa sonhar com o que ganharíamos do bom velhinho! Assim ela nos acompanhou durante muito tempo. No meu casamento, como de praxe, coloquei lista na Mesbla. Quase 80% dos presentes foram de nossa MESBLA! Sinto falta dela, não existe uma loja de departamento tão completa quanto a MESBLA! Ela foi única! Lembranças deliciosas!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  6. Adorava comprar enfeites de Natal na Mesbla!!!

    ResponderExcluir
  7. Nega Conce vc esqueceu da SLOPER, nem sei se era assim que escrevia......primeira escada rolante de Salvador.....pois e' Vânia bons tempos dessas lojas inesquecíveis na vida da gnt....bjs

    ResponderExcluir
  8. Meeeesbla, prazer em servir! Como a Mesbla me ajudou, às sextas à noite, meu Deus!

    ResponderExcluir
  9. É uma nova loja no mercado?

    ResponderExcluir
  10. Era assim mesmo q escrevia Iara, onde ficava a Mulher de Roxo!!!

    ResponderExcluir
  11. Ela ficava na porta tomando conta da vida de todo mundo....e na SLOPER era onde eu comprava muito.....e adora a vista do mar ao fundo....saudosismo puro.....bjs amiga

    ResponderExcluir
  12. Tinha uma Mesbla no centro de SP, que era o máximo. E uma Sloper na Av. Paulista, que era um show! Só existem na nossa memória. Chato, né?

    ResponderExcluir