sábado, 6 de novembro de 2010

A entrevista da Previ

Vânia Rebelo encontrou a escrita após uma transferência dentro do Banco do Brasil

Vânia mudou-se para Brasília transferida pelo Banco do Brasil – e foi pelo BB que ela ganhou confiança em seu trabalho. Os colegas brasilienses sugeriram que ela enviasse um de seus textos para a revista BB.com.você e a crônica “O que aprendi com Odair José”  foi publicada na revista. Vânia conta que recebeu feedbacks de todo o Brasil e só então percebeu o quanto seus textos eram realmente bons. “A divulgação do meu trabalho pelo BB foi um divisor de águas: depois disso comecei a levar a literatura mais a sério”.


Quais são seus estilos literários preferidos?

Eu sou uma pessoa que lê tudo o que passa pela mão. No momento estou apaixonada por Mia Couto (um escritor africano fantástico) e relendo Machado de Assis, que eu creio ser a base da literatura. Adoro reler livros antigos, principalmente, coletâneas de crônicas – que é também o que eu escrevo.

Como o Banco do Brasil ajuda a senhora a escrever?

Foi pelo Banco que comecei a divulgar meu trabalho e passei a acreditar no que eu fazia. Mas, o que o BB mais me acrescenta é através das atividades do Centro Cultural Banco do Brasil, principalmente, o Encontro com Escritores. Já pude ouvir palestras de Martha Medeiros, Luis Fernando Verissimo e muitos outros. Nesses encontros, o escritor narra seu processo de criação e ter contato com essas experiências ajuda muito na hora de escrever. Acredito que o produzir textos é um aprimoramento sem fim, então sempre busco participar desses eventos e de alguns cursos literários.

Como você divulga seu trabalho?

Me inscrevo em vários concursos, mas a principal forma de divulgação é pela internet. Em março deste ano criei um blog, o Tô de Mala Pronta: escolhi este nome porque gosto muito de viajar e nessas viagens acabo escrevendo bastante. Para mim é como se o blog fosse uma vitrine onde posso mostras meus textos.

O que a escrita representa na sua vida?

Pra mim é um espaço de liberdade, onde eu me coloco exatamente da maneira como sou e demonstro como vejo o mundo. É um espaço que conquistei e que está fazendo muita diferença na minha vida. Não tinha ideia de que escrever e divulgar meu trabalho seria tão bom.


4 comentários:

  1. Pois é, Vânia, você escreve do mesmo jeito gostoso e envolvente que você fala e que você conta histórias. Foi muito bom conhecer você!
    Um beijo, amiga!

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, Vânia, adoro seus textos e vejo que seu talento extraordinário está sendo reconhecido. Desejo-lhe muito sucesso!

    ResponderExcluir
  3. Vania,
    Visitei seu blog, gostei e compartilho com você o gosto pela literatura. Gosto muito de ler. Também gosto muito de Mia Couto de quem já li Terra Sonâmbula e outro cujo título não me lembro agora. Acabei de ler Nunca fui primeira dama da cubana Wendy guerra e peixe dourado do francês Le Cle Clesio, mas agora estou apaixaonada pelo uruguaio Mário Benedetti. Podemos trocar figurinhas sobre nossas leituras. Quanto à escrita, até hoje só escrevi uma lenda sobre a Ponte Jk e um conto em espanhol. Foi muito bom te conhecer. Você é uma pessoa muito agradável. Zita

    ResponderExcluir
  4. Zita querida,

    também adorei conhecer você. Quem sabe você não me ajuda na concretização de um sonho? A criação de um clube de leitura. Vamos conversar a respeito?
    Beijos, obrigado!

    ResponderExcluir